Último tema   
Eu sou o livro. De: 28-06-2009 -->Ver Comentários
O globo dos blogues

Quando encontramos homens de natureza especial, ficamos muitas das vezes com uma enorme vontade de aprender e esta minha experiência com Masando Sasaki San, não foi diferente.

Um Mestre de Aikido que tive o grande prazer de conhecer, na minha viagem ao Japão, para participar na cerimónia da tomada de posse do novo Doshu da Aikikai Moriteru Ueshiba.

No dia 24 de Setembro de 1999 viajámos de Osaka para Tokyo, foi uma viagem de avião que não teria nada de especial, se não fosse o maior susto que apanhei em toda a minha vida. Um enorme susto e num espaço de um segundo. Um poço de ar e o avião desceu mais de mil metros num piscar de olhos, quando olhei para o meu Mestre Doshu Honda, notei que ele se manteve sossegado sem se mover, só unicamente fechou os olhos e apertou as mãos contra aMasandro Sasaki - Shihan 8ºDan

o cinto de segurança.

Quando chegámos a Tokyo fomos de imediato para a sua casa nos arredores de Tokyo. Ao chegar pude observar que este homem tinha um olho fechado, portanto só via de um olho. De pronto nos convidou para jantarmos, o que veio a acontecer num Restaurante local.

Fizemos umas visitas a um templo e a uma cidade medieval nos arredores da sua casa e de novo voltámos para o seu lar.
No rés-do-chão havia um enorme Dojo com um Altar, depois de saber que o Altar era sobre a religião Shinto e que os frutos nas diversas prateleiras eram ofertas aos Deuses, o Mestre Masando deu-me algumas lições sobre o manejo da Katana e explicou alguns detalhes técnicos do Aikido.
Subimos ao piso superior onde havia várias salas, incluindo uma cozinha onde iria tomar o meu estranho pequeno-almoço na manhã seguinte. Imaginem para o vosso pequeno-almoço, uma faneca frita, sopa de cebola e alguns vegetais crus, pão e para beber sak
é, água, ou cerveja.

Masando San não falava outra língua que não fosse japonês e enquanto ele conversava com o Mestre Honda eu fui dando uma vista de olhos pela sua enorme biblioteca.
Voltei para junto deles e perguntei ao Mestre Masando se não tinha livros de Aikido, Mestre Masando San, não entendeu bem a pergunta que lhe pus através do Mestre Honda e pondo a mão no ouvido em forma de concha, voltou a pedir que repetisse a pergunta.

Livros de Aikido para quê? Perguntou-me Mestre Sasaki.
Confesso que não gostei de ouvir a sua resposta e fiquei a pensar por alguns segundos; Então, ele um Mestre de Aikido, não tinha livros de Aikido? Como era possível?!
Voltei à carga e perguntei o mais delicadamente possível, que livros eram aqueles nas prateleiras? Mestre Honda trouxe-me a resposta, dizendo que eram livros da sua autoria, sobre poesia Japonesa e sobre a religião Shinto da qual era Padre.

Shikishi
A poesia Japonesa escrita com símbolos kanji foi-me dada naquela noite, assim como em outras ocasiões posteriores, nos Estágios de Aikido que se veio a realizar mais tarde, na Cidade de Kisshiwada na Prefeitura de Osaka. Era tão difícil e tão profunda o significado da sua poesia, que foram precisos o conhecimento dos homens mais velhos e mais cultos para a traduzirem e a explicarem aos mais novos, para os mais novos de seguida me explicarem em Inglês.
Shikishi: Uma folha de papel de arroz de 20x25cm com uns símbolos Kanji, os quais levavam os Japoneses a lerem e a relerem várias vezes e a discutirem o seu significado. É simplesmente incrível como se pode dizer tanta coisa e com tanta sabedoria, com uns símbolos kanji.
Surpreso? Preocupado? Demasiado tarde. - Isto é a escrita simples e profunda de um Poeta/Filosofo, que nos diz que na vida diária é sempre demasiado tarde, quando nos surpreendemos ou quando ficamos preocupados.
Temos que estar sempre preparados.

Quando o Mestre Sasaki percebeu que não me tinha dado por vencido, avançou com a sua explicação antes que eu disparasse outra pergunta.
 - No princípio aprendi com o Ósensei como fazer o Aikido e não havia livros, algumas vezes Ósensei fazia a mesma técnica de modo diferente e todos aprendiam o novo modo quando era necessário.
Quando aprendi a Arte do Aikido e os seus princípios, reconheci em todas as formas e modelos todas as técnicas da Arte e deixei de precisar de seguir modelos ou formas, passei a ser o meu próprio livro.
Agora eu sou o livro.

Antes de voltar à sua explicação de "Eu sou o livro", gostaria ainda de lhes dizer como foi diferente, os treinos de Aikido com este Senhor.
Masando Shihan, tinha habitualmente um quadro negro (ardósia) no Dojo, no qual explicava por figuras geométricas as técnicas do Aikido. Quando o Mestre acabava a aula, batia sempre 3 vezes as palmas das mãos (Saudação aos deuses, segundo a religião Shinto.) e no final dava uma natural e estrondosa gargalhada, que contagiava a todos que a ouviam. É formidável como somos levados à gargalhada por outra pessoa, só porque essa pessoa deu uma gargalhada forte e intensa.

 - Eu sou o livro. Dizia o Mestre Sasaki, enquanto completava a sua idéia explicando e o Mestre Honda traduzindo para mim.
 - Cada vez que faço uma aula, é como se estivesse a escrever um novo livro, e nesse novo livro surgem novas coisas, novas idéias, mas sempre os mesmos Princípios.
Dizia Sasaki Shihan.
 - Os Princípios foram dados pelo Ósensei Ueshiba e desde que se mantenham esses Princípios o Aikido é sempre Aikido.

Ao ler um e-mail do mais velho Mestre de Aikido da atualidade (José Azevedo), fiquei a pensar neste encontro com o Mestre Sasaki.

E-mail:
Aqui para nós te digo, sentir-me-ei de facto realizado quando conseguir dar forma ao meu Ikkyo, a mais bela, elegante e maravilhosa técnica desta nossa Nobre Arte Marcial que se chama Aikido.

O meu Mestre, lá dos Brasis, dizia sempre: “Treinem muito e com muito zelo, mas, sobretudo, nada de zelo em demasia”; e: “Primeiro aprendam a forma, depois pratiquem a forma, por fim não há forma”!!!!!!!!!
Ao chegar a esta idade, quando entro no tapete, ando louco para aprender definitivamente o Ikkyo, sem forma.

Um grande abraço para ti, velho Guerreiro e desejos de muitas felicidades.

Meu querido e jovem Zé Azevedo, o Mestre Sasaki deixou de seguir formas e modelos, parece que deste modo, começou a executar as suas técnicas sem forma.

Um litro de um liquido é um litro desse liquido, independemente da forma que utilizar.
Um Ikkyo será sempre um Ikkyo,  independemente da forma que for usada.
A "forma" pode ser criada por ti, por mim, ou por qualquer pessoa.

Sasaki Shihan:
Masando Sasaki nasceu na Perfeitura de Yamagata em 1929. É formado em Economia e em Leis, pela Universidade de Chuo.
Sasaki San começou o seu treino de Aikido em 1954. Hoje ainda ensina Aikido apesar da sua já longa idade. Recordo a sua expressão, ao dizer que o mais difícil era terminar a aula, porque após dar a aula por terminada a classe não vai embora.
Os jovens esperavam por ele no exterior do edifício, onde se tinha realizado o Estágio de Aikido em Kisshiwada. Curvando-se pela cintura à sua passagem, em sinal de grande respeito e admiração. Muitos acompanhavam a correr o carro em que se afastava, fazendo adeus.

Um Sensei é muito admirado e respeitado no Japão e quanto mais velho, mais respeito e admiração obtêm da Sociedade. 

Bons treinos




Orlando Marques